Carreira, Notícias

Empresas Prestam Cada Vez Mais Atenção ao Facebook Antes de Contratar

Texto extraído de: Zero Hora
Maria Amélia Vargas

Acessar na internet os perfis dos candidatos a uma vaga de emprego é prática corriqueira de recrutadores. Mas a notícia de que algumas empresas norte-americanas estão solicitando aos aspirantes a uma vaga de trabalho que revelem seus logins e senhas do Facebook levantou discussões sobre direito à privacidade e exposição de quem tem perfil em redes sociais. 

De acordo com a advogada Patrícia Amaral, especialista na área trabalhista da Stifelman Advogados, não há no Brasil uma legislação que trate especificamente desse assunto. Entretanto, afirma, pedir a senha de acesso ao perfil da rede social de um candidato a emprego fere os princípios constitucionais que garantem o direito à privacidade. — Em casos como estes, a Constituição e a legislação trabalhista servem como parâmetro — explica Patrícia.

A advogada acrescenta que, em uma entrevista de emprego não se admitem perguntas que possam ser interpretadas como discriminatórias ou que firam a individualidade. Especialistas consultados por Zero Hora afirmam que casos como os ocorridos nos Estados Unidos não foram registrados no Brasil.

Na avaliação de Cristiane Steigleder, diretora de Grupos de Estudo da Associação Brasileira de Recursos Humanos no Estado (ABRH-RS), esse tipo de situação pode ter relação com o cenário econômico dos EUA.  — Talvez pelo fato de eles estarem vivendo uma realidade de desemprego tão grande, muitos profissionais possam até se submeter a esse tipo de apelo. No Brasil, ao contrário, como estamos em um momento com sobra de oportunidades, as pessoas dificilmente se submeterão a isso — conclui Cristiane.

Para Lourdes Lovison, gerente executiva do Grupo Advis – que presta consultoria em gestão de pessoas –, um empregador com esse tipo de conduta está sendo antiético: — Na minha opinião, equivale a pedir a senha do banco de uma pessoa. É inadmissível. Acho compreensível observar o perfil do candidatom, mas invadir a privacidade já ultrapassa a linha do aceitável.

De olho no perfil da rede

Independentemente da discussão sobre o acesso à senha dos candidatos, pesquisa divulgada recentemente pela empresa de monitoramento de mídias sociais Reppler aponta que 91% dos recrutadores nos EUA confirmam visitar o perfil dos profissionais que estão participando de um processo seletivo.

Por meio das páginas pessoais em redes sociais, o selecionador conhece um pouco mais sobre o indivíduo: sua forma de se relacionar com a sociedade, preferências pessoais e até mesmo informações sobre a sua carreira.

De acordo com Flávio Nascente dos Santos, diretor da agência de recrutamento AST Facilities, o Facebook é uma espécie de “amostra grátis” da personalidade da pessoa.

— Pelo perfil nas mídias sociais, pode-se perceber se a pessoa é tímida ou extrovertida, se é inteligente, carismática. Assim, pode-se ter uma ideia de como ela deve se comportar no ambiente de trabalho — analisa Santos.

O primeiro contato com o candidato segue sendo o currículo, explica Cristiane Steigleder. O Facebook, segundo a diretora da ABRH, tornou-se um recurso para saber um pouco mais da pessoa e confirmar informações.

— Recorre-se às mídias sociais para verificar se o que o candidato diz procede ou para esclarecer coisas que não ficaram muito bem claras na entrevista. Por exemplo, teve um caso em que a pessoa não soube explicar por que ela não conseguia ser pontual no emprego anterior. Aí você vê no Facebook que ela costuma ir à festas todas as noites da semana, então fica complicado mesmo cumprir o horário de trabalho no outro dia — diz Cristiane.

Quando as redes sociais começam a ocupar um espaço também na carreira, avalia Lourdes Lovison, é preciso prestar muita atenção a tudo o que o profissional divulga por meio delas.

A especialista alerta que fotos com partes do corpo muito expostas e de festas em que apareça muita bebida podem depor contra o candidato. Além disso, alerta, é fundamental ter cuidado também com os assuntos que levanta na rede e evitar discussões sobre assuntos polêmicos em público.

— Mas também de nada adianta ter um perfil irretocável no Facebook se descuidar das outras mídias, se escrever no Twitter barbaridades sobre a empresa que trabalha ou sobre o chefe — salienta Lourdes.

Ajustes eficientes

Quando Alan Lupatini, 24 anos, ingressou no Facebook, em 2008, a ideia era se relacionar com os amigos de faculdade e se divertir com os jogos de que a mídia social dispunha na época. Ao iniciar a vida profissional, entretanto, o publicitário percebeu que era o momento de prestar mais atenção ao seu perfil na rede.

— O Facebook não nasceu para ter esse cunho profissional, mas funciona bem para isso também. Com o tempo, os jogos passaram a um segundo plano e comecei a cuidar o conteúdo que postava, não colocar coisas informais em excesso e cuidar com o tipo de humor que utilizo. Há uma linha muito tênue entre o que é divertido e o que pode ser constrangedor — salienta Lupatini.

Como tornar seu perfil atraente:

— Mantenha o seu perfil sempre atualizado;

— Mostre as suas competências: idiomas que domina, cursos concluídos, artigos publicados.

— Compartilhe opiniões sobre assuntos de interesse profissional;

— Tente não expor em demasia a sua vida pessoal, mas também não seja tão discreto ao ponto de parecer que você tem algo a esconder;

— Fotos em família ou entre amigos são bem vistas;

— Não é necessário usar linguagem formal na rede social, mas cuide para escrever sempre em português correto;

— Se você gosta de ler, comente os livros que estão na sua cabeceira no momento;

— Conte e divulgue fotos de viagens interessantes, de eventos culturais que valham compartilhar;

— Siga e adicione negócios de interesse, de sua área de atuação;

— Não se acanhe em divulgar suas vitórias, promoções, premiações, boas colocações em cursos;

— Se o seu superior lhe convidou para ser amigo no Facebook, você tem a liberdade de aceitar ou não. Mas, no momento em que aceitar, redobre os cuidados com o seu perfil;

— Não responda a provocações públicas e não trave discussões por meio das redes sociais;

— Se você está buscando um emprego, as informações apresentadas na entrevista têm de ser coerentes com o seu perfil virtual O que não pega bem;

— Não divulgue imagens comprometedoras: fotos em festas com copos de bebida alcoólica na mão, de biquíni na praia, sem camisa, com roupas decotadas ou em poses sensuais;

— Jamais fale mal da empresa em que trabalha ou em que já trabalhou. Da mesma forma, nunca critique seu chefe ou clientes;

— Não divulgue informações sobre sua empresa, a não ser que você tenha autonomia para isso ou tenha autorização;

— Tome cuidado ao levantar assuntos polêmicos e ao expressar opiniões radicais;

— Não use palavras de baixo calão;

— De nada a adianta ter um perfil correto em uma rede social e descuidar-se em outra;

— Pessoas que postam coisas demais acabam com fama de chato e ainda passam a impressão de não ter coisas mais importantes para fazer ou de que estão usando o horário de trabalho para fazer isso;

Disponível em: bit.ly/HMPYue

Tags: , ,

Não GosteiGostei (Sem votos)
Loading...

i.social

Uma Reposta para “Empresas Prestam Cada Vez Mais Atenção ao Facebook Antes de Contratar”

  1. On 8 de fevereiro de 2013 at 12:12 RAFAEL MARCOS GARCIA respondeu com... #

    Humilha teu coração, espera com paciência, dá ouvidos e acolhe as palavras de sabedoria; não te perturbes no tempo da infelicidade,
    sofre as demoras de Deus; dedica-te a Deus, espera com paciência, a fim de que no derradeiro momento tua vida se enriqueça.
    Aceita tudo o que te acontecer. Na dor, permanece firme; na humilhação, tem paciência.
    Pois é pelo fogo que se experimentam o ouro e a prata, e os homens agradáveis a Deus, pelo cadinho da humilhação.

Adicione sua resposta