Carreira, Notícias

Mude de Emprego | A vaga é sua – Parte I

Texto extraído de: Você S/A

Diz a sabedoria popular que quem tem amigos tem um tesouro. No Brasil, essa máxima é especialmente verdadeira no que diz respeito ao mercado de trabalho.

Segundo estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), quase 60% das pessoas empregadas na iniciativa privada obtiveram a vaga após indicação de parentes, amigos e conhecidos que já trabalhavam no lugar. “O funcionário conhece bem o dia a dia e os valores da companhia e sabe melhor do que ninguém que perfil de pessoa vai se adaptar bem à organização”, diz Rosana Echigo, gerente de RH da Ernst & Young Terco.

Por isso, apesar de parecer uma ação parcial ou protecionista, a indicação traz uma grande vantagem tanto para a empresa quanto para o profissional. Muitas vezes, por meio do relato do amigo, o candidato já chega conhecendo a empresa e o que é esperado dele, o que tende a facilitar sua adaptação. Muitas organizações estimulam essa prática oferecendo prêmios a quem aponta bons nomes no mercado.

Os bônus cumprem o papel de instigar os colaboradores a serem seletivos nas recomendações, afinal o prêmio será concedido ao autor da melhor indicação. “O percentual de erro nesse tipo de contratação tende a ser menor, já que o candidato já passou pelo filtro do colaborador que o indicou”, diz João César Lima, sócio e coordenador de RH da consultoria PricewaterhouseCoopers, que tem um programa desse tipo.

O sistema de indicações é considerado particularmente eficaz no recrutamento para técnicos e especialistas, já que o círculo de amizades do funcionário costuma concentrar pessoas de mesma formação. O gerente de auditoria Rodrigo Marcatti, de 30 anos, foi contratado pela Price no início de fevereiro após a indicação de um gerente amigo dele. “Havíamos trabalhado juntos quatro anos antes e ele conhecia meu trabalho”, diz Rodrigo.

Para ele, a indicação aumenta o comprometimento em apresentar resultados. “Quem indica acaba se responsabilizando pela contratação, então cresce nosso desejo de corresponder à expectativa”, assegura. Quem recebeu de um colega um pedido de indicação para uma vaga também deve tomar cuidados. O principal é evitar o envolvimento afetivo. “A pessoa que indica deve conhecer suficientemente a qualificação e o comportamento do amigo”, diz o coach Silvio Celestino, da Alliance Coaching.

“A indicação ideal é aquela que relaciona as competências da pessoa recomendada com a cultura da empresa”, diz Silvio. Não exagere as qualidades da pessoa nem indique só por solidariedade, porque o amigo está precisando. De certa forma, você está compartilhando a responsabilidade pela contratação e empenhando sua credibilidade.

Disponível em: bit.ly/J2I5z0

Acompanha a segunda parte dessa matéria, amanhã!

O que achou desse post? Deixe seu comentário!

Tags: , ,

Não GosteiGostei (Sem votos)
Loading...

i.social

Uma Reposta para “Mude de Emprego | A vaga é sua – Parte I”

  1. On 9 de fevereiro de 2013 at 11:59 RAFAEL MARCOS GARCIA respondeu com... #

    Toda a sabedoria vem do Senhor Deus, ela sempre esteve com ele. Ela existe antes de todos os séculos. Quem pode contar os grãos de areia do mar, as gotas de chuva, os dias do tempo? Quem pode medir a altura do céu, a extensão da terra, a profundidade do abismo? Quem pode penetrar a sabedoria divina, anterior a tudo? A sabedoria foi criada antes de todas as coisas, a inteligência prudente existe antes dos séculos! O verbo de Deus nos céus é fonte de sabedoria, seus caminhos são os mandamentos eternos. A quem foi revelada a raiz da sabedoria? Quem pode discernir os seus artifícios? A quem foi mostrada e revelada a ciência da sabedoria? Quem pode compreender a multiplicidade de seus caminhos? Somente o Altíssimo, criador onipotente, rei poderoso e infinitamente temível, Deus dominador, sentado no seu trono;

Adicione sua resposta