Inclusão, Notícias, Vídeos

Vamos nos Unir Contra a Redução da Cota para Pessoas com Deficiência

Texto extraído de: Instituto Pró Cidadania

ACORDA BRASIL

É um absurdo saber que o Ilmo Sr. Senador José Sarney tenha feito um Projeto de Lei, de número 112, de 2006, alterando as leis vigentes de proteção ao trabalho para pessoas com deficiência. Pior ainda é saber que foi votado ontem e aprovado na íntegra. Sua proposta, dentre outras providências, é reduzir a cota atual de até 5% de reserva de vagas em empresas, para 3%, somente.

Hoje, temos a estimativa de aproximadamente 45 milhões de pessoas com deficiência no país, das quais, somente 3 ou 4 milhões encontram-se empregadas, em empregos formais, segundo  o Ministério do Trabalho. A lei que favorece a contratação de pessoas com deficiência, levou centenas de anos para ser promulgada e 8 anos e meio para ser regulamentada. Mesmo vigente, a grande maioria das empresas não cumpre a lei, nem mesmo os órgãos públicos. Esta população sempre foi excluída e, ainda hoje, existe muito preconceito para com ela.

Leia também:

Vem Ser Feliz Conosco!

Instituto Mara Gabrilli Lança Campanha Contra o Preconceito

Depois de tanta luta pela inclusão, vem o Sr. Sarney propor um retrocesso às mínimas conquistas conseguidas com tanto sacrifício. Quanto estes ilustres senadores conhecem sobre o mundo das pessoas com deficiência? Quanto conhecem sobre suas dificuldades, frustrações e discriminação? Quantos estes senhores conhecem sobre o sofrimento e dificuldade de suas famílias? Na própria justificativa deste projeto de lei alega que faltam dados sobre esta população. Desconhecem onde moram, suas reais necessidades, quantos somam realmente. Então, como fazer um projeto sobre uma população que nem ao menos conhece?

Ainda neste nefasto projeto, adota e legaliza a terceirização de pessoas com deficiência, como parte do cumprimento da cota reserva e legaliza a compensação da cota, revertendo para programas profissionalizantes. Era tudo o que as empresas e seus administradores gostariam de ter. Realmente o sonho de consumo da grande maioria dos empresários, pois ninguém quer conviver com a pessoa com deficiência. Esta é a verdade nua e crua. Perdi a conta das centenas de vezes que recebi a proposta para “deixar” na instituição as pessoas com deficiência contratadas por uma determinada organização, mesmo recebendo salário e benefícios, desde que nunca aparecessem na empresa. Ninguém quer conviver com o que é diferente. Todo mundo busca o padrão. Padrão do bonito e do ideal.

Ninguém gosta do que foge do padrão. Certa vez ouvi de um empresário, uma definição para o convívio com a pessoa com deficiência: “ – Deficiente é como a feira, todo mundo gosta, mas ninguém quer na porta da sua casa”. Isto é real. Todos acham os programas de inclusão social maravilhosos, mas longe deles.

Quanto a favorecer os processos de profissionalização, sou totalmente a favor, já faço isto há 20 anos, mas não da forma proposta pelos ilustres senadores. Se os órgãos públicos tivessem a capacidade e potencial de realizar estes programas de qualificação, já o teriam feito. Nossos professores de ensino básico, em escolas regulares, públicas ou privadas, se quer sabem como preparar material didático para cada tipo de deficiência, salvo raríssimas exceções. Vamos esperar que os cursos profissionalizantes atendam à demanda desta população especial? Só se acreditarmos em Papai Noel.

Continuando as propostas desastrosas deste projeto, legaliza oficinas protegidas, que mais uma vez excluem as pessoas do convívio social.

Quanto à reserva de vagas públicas, reduz de 5% para 3% também. Hoje não cumprem o mínimo necessário e ainda querem reduzir.

Como se não bastasse tudo isso, tem o Ilmo Senador Benedito de Lira, com outro projeto de lei, concomitante, também votado e aprovado ontem, alterando a Lei 8.213/91, em seu artigo 93, transferindo a responsabilidade de contratar pessoas com deficiência, para simplesmente repassar valores financeiros para o FAT – Fundo de Amparo ao Trabalhador – verba esta frequentemente desviada e não comprovada efetivamente como profícua em processos de inclusão social, especialmente para pessoas com deficiência.

Acorda Brasil. Querem novamente passar a perna na população mais carente, mais necessitada, que não tem expressividade para bater de frente com o poder que se estabelece, em nome deles e contra eles. Vamos ficar de braços cruzados mais uma vez? Eu não ficarei calada, manifestem-se, afinal, somos todos potenciais deficientes e com certeza futuros anciãos, que tornar-se-ão deficientes também.

Vamos juntos levantar a nossa voz, afinal os senadores e, políticos em geral, são os nossos representantes e nossa vontade deve imperar!!!!!

Açucena Calixto Bonanato

Presidente Instituto Pró-Cidadania

14/03/13

Tags: , , , , ,

Não GosteiGostei (+2 rating, 2Votos)
Loading...

i.social

23 Responses para “Vamos nos Unir Contra a Redução da Cota para Pessoas com Deficiência”

  1. On 1 de abril de 2013 at 18:11 Dennis respondeu com... #

    Oi, sou Recrutador de um empresa e nós cumprimos nossa cota sempre, agora é sempre um “terror” fazer uma vaga de reposição PCD, digo terror porque a maioria não comparece a entrevista, demonstrar desinteresse e trocam de empresa em pouquíssimo tempo de casa, e muita vezes ficam em posições de vitimas durante a entrevista mostrando que levam a vida por levar. Eu estou ali para avaliar o candidato e inclusive entender as dificuldades que o candidato poderá encontrar durante o seu dia-a-dia nas atividades diárias do cargo, já recebi muita “cara feia” por apenas perguntar “sua deficiência te limita em alguma atividade? Necessita de uso de algum instrumento ou adaptação no ambiente de trabalho?”. As empresas estão se comovendo, mas é necessário fazer um trabalho de inclusão social também com a população PCD. Mas é bem desagradável você agendar 10 entrevistas em um dia e nenhum ou somente 1 ou 2 pessoas comparecem, e quando comparece nem sempre atende ao perfil pessoal/comportamental a cultura da companhia, e depois o ministério vem cobrar a cota e não quer nem saber se você está fazendo o seu trabalho e que por culpa dos desinteressados e descompromissados da vida, corremos o risco de tomar uma multa carérrima. Ai no desespero você faz o que? Faz o processo todo correndo, processo admissional voando e quando você depara você está com um funcionário que não atende todos requisitos que você realmente necessitava para aquela vaga.

    Olhar só lado do deficiente é fácil, mas tentar entender todo o tramite por trás disso ai ninguém quer né.

    Eu concordo que a lei não deveria baixar o número, mas deveria ter uma lei que te desse alguma estrutura para realizar esses processos, e principalmente um tempo de dias para realizar o processo seletivo normalmente igual todas as outras vagas.

    • i.social
      On 2 de abril de 2013 at 16:53 Jaques Haber respondeu com... #

      Olá Dennis;

      Obrigado pelo seu comentário. Gostaria de saber, em termos gerais, quais são as vagas que você está oferecendo para profissionais com deficiência.
      Pergunto isso, pois temos visto que muitas empresas que encontram estas dificuldades que você relatou estão oferecendo vagas operacionais e pouco atrativas para os candidatos com deficiência.
      Não sei se é este o seu caso, mas é normal ter uma dificuldade maior de encontrar um bom profissional quando a oferta não é muito boa.
      Abs
      Jaques Haber

    • On 3 de abril de 2013 at 1:04 Weslley C. Lima respondeu com... #

      Caro Dennis,

      Deixe-me apresentar sou Weslley e sou PCD, interessante é seu comentário, contudo mantendo o foco sobre a lei cujo diminuirá o n° de 5% para 3% de vagas nas empresas que destinam os PCD’s, não deve ser diminuída!!Porém aqui vai uma dica: Na empresa que você faz parte tem possibilidade de mapeamento de colaboradores já existente cujos possibilita ser enquadrado como PDC, por exemplo, diminuição auditiva e visão, pois a velhice chega para todos nós, com isso e se houver, acaba com esse “terro”.

    • On 3 de abril de 2013 at 22:19 rosimere veloso respondeu com... #

      concordo com vc plenamente, eu sou PCD e tem muitooooooooooooooooooooooooooooooossssssssssssssssssss que não tem um pingo de interesse , e fica dizendo eles não colocam pra fora porque eu sou deficiente é um absurdo, e falta,trabalha de qualquer jeito enfim tenho colegas Pcd que são exatamente assim e ainda por cima da uma de vítima , é complicadíssimo !!!!

    • On 18 de abril de 2013 at 0:54 cris respondeu com... #

      Boa noite!

      Vc tem algum parente com deficiência
      Naturalmente não devido a tanta incensibilidade.
      Como é que uma pessoa que não empatia pode trabalhar num setor tão importante!
      Vc não sabe como é a vida de um deficiente, as dificuldades cotidianas, a luta diária para sobreviver!
      A empresa é que se vire para dar conta da lei pois após ler seu email foi divulgar na internet e colher assinaturas p ajudar a todas as pessoas com deficiência!

    • On 16 de julho de 2013 at 11:17 Alessandra respondeu com... #

      Bom dia Denis,
      Sou deficiente e sou jornalista, desde que sofri o acidente que me deixou com a sequela encontro muito dificuldade em encontrar um cargo dentro da minha profissão. Já fiz várias entrevistas, compareci em todos os processos que fui chamada, no entanto é vergonhoso um recrutador te chamar para a entrevista, você um profissional com 10 anos de experiência, te oferecer um cargo de assistente e um salário tão baixo que não compensa sair de casa. Por isso, talvez, tantos PCDs ficam tão desmotivados com as vagas. Hoje estou trabalhando em uma empresa onde sou especialista em comunicação, porém para chegar aqui foi muito difícil, mesmo no meu currículo estando meu interessa na área de comunicação, me chamavam para “n” entrevistas na área comercial ou atendimento ao cliente. Não há muitas vagas para PCD em cargos de coordenação e gerência, por quê será? Acho que porque muitas empresas não os acham capazes. Lembrando que qualquer pessoa pode se tornar deficiente a qualquer momento.

    • On 30 de novembro de 2015 at 21:23 SILVANE APARECIDA MACIEL respondeu com... #

      Ola, Boa tarde!
      Meu nome é Silvane, sou PCD, sou graduada Bacharel em Secretariado Executivo. Li seu comentário e de minha afirmo ao Sr. ser o contrário…Tem sido uma maratona, uma luta sem igual para procurar e encontrar uma vaga para PCD, infelizmente as empresas nao tem respeitado essa cota.
      Parabenizo sua empresa por estar cumprindo, mas não aposte por todas Sr.
      Infelizmente isso não acontece.
      Ja trabalhei em muitas empresas, a ultima foi LOJA MAGAZINE LUIZA da minha cidade, a qual podem lhe dar referencias minhas, e lhe garanto, nunca faltei em entrevistas e nem em outros desse teor.
      Na oportunidade, peço-lhe que me auxilie nessa busca incansável por um lugar ao sol, busca essa que ja dura 6 meses.
      Obrigada;

  2. On 2 de abril de 2013 at 1:24 Rodrigo Arruda respondeu com... #

    Vamos organizar uma petição e mostrar que somos bem mais que 5%:
    http://www.avaaz.org/po/

    • i.social
      On 2 de abril de 2013 at 16:55 Jaques Haber respondeu com... #

      Olá Rodrigo;

      Acho uma ótima idéia. Já está no ar uma petição pública contra estes projetos de lei que tem por objetivo eliminar direitos já conquistados pelas pessoas com deficiência. Veja:

      http://www.peticaopublica.com.br/?pi=PL112

      Abs
      Jaques Haber

    • On 24 de junho de 2013 at 14:51 Henrique Andrade respondeu com... #

      Concordo plenamente

  3. On 31 de maio de 2013 at 17:57 Caubi respondeu com... #

    Sr. Dennis,
    Sou deficiente auditivo, sou formado em Tecnico de Segurança do Trabalho, todas a intrevista que fui, sempre cai em contradição do entrevistado, até hoje não consegui a vaga de tecnico, aqui em Minas, tem grandes empresas preconceituosa, sempre estou lutando pelo meu interesse e não consigo, pois tudo que eu quero é também trabalhar, mas não da forma que a empresa que faz, só pra cumprir a cota de deficiente referente a lei federal.

    obrigado!!!

  4. On 4 de junho de 2013 at 17:43 Claudio Pinheiro respondeu com... #

    Estou aqui indignado com essa atitude imoral desses politicos, que querem acabar com os direitos dos deficientes, como se nao bastase as humilhacões que somos obrigados a enfrentar, mesmos contratados pela empressas, com os fucionarios apredizes e terceirizados por estamos execendo nossas fucoes dentro das empresas. Isso é uma manobra dos empressarios para acabar com nossas cotas, um absurdo, uma ilegalidade absurda um abuso, meu Deus nao tenho mais nem palavras

  5. On 5 de julho de 2013 at 22:41 Claudia respondeu com... #

    So podia vir de uma pessoa como Sarney chega ate ser ridículo, já esta difícil ainda reduzir a cota ,as empresa já não cumpri a lei das cotas vamos lutar contra……….

  6. On 24 de outubro de 2013 at 17:27 Marcos Vieira respondeu com... #

    Sr Dennis, pela sua colocação, vc não tem perfil para trabalhar na seleção de pessoal, sou um PCD formado em Administração de Empresas, tenho curso Tecnico em TI, e todas as vagas que eu fiz a inscrição e quando chamado fui participar do processo seletivo. se a empresa que vc trabalha faz um processo atropelado só pra cumprir leis, percebe que é uma empresa que não tem planejamento, antes da empresa demitir uma PDC, ela deve fazer um processo seletivo para que haja justamente o prazo pedido por leis. E outra muitas das entrevistas que eu fui fazer era vaga para ganhar R$ 700,00 e sem perspectiva de plano de carreira, nem todos os PCDs são iguais, concordo quando vc diz que alguns se faz de coitadinhos, e que preferem receber um auxilio do INSS do que encarar a dura realidade do dia-a-dia.

  7. On 9 de dezembro de 2013 at 17:08 eva jurcilei respondeu com... #

    Quem não e deficiente ,não sabe e nunca ira saber como que e a vida de um deficiente ……….no mercado de trabalho e uma vergonha as vagas oferecidas são de salario de aprendiz e muitas vezes ate mesmo…..tenho ensino superior mas nunca consigo um salario digno .. EX: se o deficiente entra para trabalha como assistente administrativo e na sala tem outros assistente administrativo que não são deficientes pode saber o seu salario e bemMMMM mais baixo que o deles ……….sabe pq ? E pq você e deficiente (eu)…..
    Depois vem sate ou empresas dizer que não encontra PCD s qualificados …deveria ter vergonha em dizer isso .o PCD s qualificados ou não nunca ira ter um salario que merece o preconceito das empresas fala mais alto ..

  8. On 17 de dezembro de 2013 at 20:02 rrfer respondeu com... #

    Boa Tarde sou deficiente auditiva ,e gostaria de dizer que realmente existe entre 100% cerca de 20 a 30% realmente nao ficam nas empresas como PCD porque sera ?Dentro da Empresa que estou hj graças a DEUS entrou juntamente comigo 30 pcd ,e sabe quanto nao ficou apenas 1 ,isso quer dizer que não é a deficiencia que nao permite um deficiente mostrar o potencial que temos ,nao importa que seje baixa visão ,um cadeirante , uma pessoa que falta um membro mas ,mas os esforços que fazemos para crescer e ter os mesmo direitos que vcs considerados normais,pq um assistente administrativo PNE ganha menos que um normal,se o trabalho que exercemos são iguais ,o que falta na sua empresa é uma capacitação referente ao cargo oferecido e um salario igual a todos para que possa atrair tbm os deficientes,lembrando claro que alguns se bancam de coitadinho por causa de suas limitações mais a maioria encara como normal,é o que nós chamamos de superação,agora tem muitas empresas que logo demite um deficiente por causa que chega mais tarde e sai mais cedo para poder cuidar de sua limitação,e aproveita a oportunidade de mandar embora ,agora pergunto Denis sera que somos nós o problema oa sua empresa esta defazada quanto aos beneficios oferecidos para os PNEs?

  9. On 11 de fevereiro de 2014 at 13:18 josineide bispo respondeu com... #

    bom dia !

    concordo plenamente , sou deficiente fisico e nunca tive oportunidade de nada.

  10. On 25 de março de 2014 at 19:27 Aline respondeu com... #

    Engraçado diminuir cota pra deficiente ,nem com 5% estão pegando ,as empresas só sabem passar a peneira e nunca estão satisfeita ,o querem é alguém formado que fale 3 linguás e de boa aparência etc……..E quem não consegue nem segurar um lápis como fica pra trabalha ,infelizmente esse é descartado ,tem muita falta de respeito e falta de preparação no RH das empresas, mais isso do que vagas!!!!!!!!!

  11. On 11 de abril de 2014 at 11:12 samuel cassiano respondeu com... #

    sempre o sarney,causando um derseviço ao pais,porque isso é um retroseço para os deficientes e consequentemente para o brasil como nação ….

  12. On 6 de maio de 2014 at 14:19 Johnathan respondeu com... #

    No meu ponto de vista deveria diminuir sim o percentual de vagas para 3%. Para o Governo torna-se muito cômodo aplicar multas e penalizar. Porque eles não fazem a própria parte alterando as normas para oferecer os benefícios? A Lei orgânica da Assistência Social LEI Nº 8.742, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1993 os deficientes possuem uma garantia de um salário-mínimo se comprovarem não possuir meios de prover a própria manutenção da renda nem de tê-la provida por sua família, onde este benefício é suspenso pelo órgão concedente quando a pessoa com deficiência exercer atividade remunerada. Só em Goiânia são 62.200 pessoas que recebem tal beneficio. Reforço que existem sim os empenhados, mas são poucos. Os demais sempre buscam altos salários e excelentes condições, mas não se qualificam para tal fim. Se convocar 10, aparecem 02 no máximo.

  13. On 29 de agosto de 2014 at 15:01 Rozilene respondeu com... #

    OLá Sr. Dennis!

    Entendo sua colocação, sei que não é fácil.
    Sou portadora de deficiência auditiva e gestora de recursos humanos e direi aqui o por quê que nem todos comparecem às entrevistas (experiência minha e de outros amigos(as) também PCDs):
    Como graduada em Rh e pós-graduanda em Psicologia Organizacional e também experiências de mercado nesta área, espero encontrar vagas de acordo com meu perfil de nível supeiror.
    E sabe o que encontro? Auxiliar administrativa e outras vagas que pagam muito pouco como se as pessoas portadoras de deficiencia não fizessem mais nada a não ser ajudar a “tampar a panela” em questões de ferista..
    Sinceramente? Isso DESESTIMULA! Também somos tão capazes quanto qualquer ser humano sadio.
    Se os seus candidiatos não tenham comparecidos avalei quais são os beneficios e funções das vagas que estão a oferecer.
    E quanto a não durar na casa…depende.
    Se sentirmos que estamos no mesmo cargo e não vemos motivação como valorização, reconhecimento como pra quelauqre funcionário é CLARO que vamos buscar melhoria, reconhecimento em outras casa! Afinal, as pessoas ‘sadias” não fazem assim também??
    Como gestora de recursos humanos e portadora de deficiencia vos digo: melhorem as vagas e sejam justos nos benefícios,criem vagas de nível supeiror e dêem oportunidades a nós(PCDs) tambem,e podem ter certeza que o quadro começará a mudar pra melhor, tanto para os recrutadores e para os candidatos, como também para as empresas…

    • On 10 de novembro de 2015 at 16:58 wesley respondeu com... #

      Parabéns Rozilene pela sua sábia resposta ao Srº denis…Existem pessoas que se dizem sadias,que deveriam ser deficientes ao menos um dia para sentir na pele o que passamos..Digo no Geral.Também sou Deficiente Auditivo, e já passei por cada uma…Todos nós PCD’s,devemos ter oportunidades dignas de trabalho..Com bons cargos, e salários dignos e não salário de fome…

  14. On 9 de setembro de 2014 at 18:33 Eliane Guimarães respondeu com... #

    É pessoal cheguei a seguinte conclusão: As empresas preferem pagar a multa que por sinal e bem maior que o salário que oferecem. As vagas são realmente para pessoas sem qualificação, carga horária de 6 horas para não dizer que esta explorando, a sinceramente, Vergonhoso!!! 10 anos de profissão, pós graduada em gestão escolar e lhe oferecem um salário de 870,00 reais e ainda soa como um grande favor para a humanidade deficiente.
    Sou deficiente, tive meu braço direito amputado após um acidente e digo com toda a certeza de que sou muito mais eficiente que muitos que se dizem sem deficiência. A deficiência esta na mente dessas pessoas que acham que o deficiente é um pobre coitado a espera de uma moeda que lhe jogam aos pés dos santo na igreja, pelo amor de Deus, até quando essa gente atrasada pensará assim. Temos mesmo que ir a luta e mostrar nossa força para mudar esse país.

Adicione sua resposta